SEFAZ-MG: Fisco define cronograma de obrigatoriedade para emissão da NFC-e

A Nota Fiscal Consumidor Eletrônica NFC-e, modelo 65, deverá ser utilizada nas operações de varejo com entrega imediata ou em domicílio, destinadas a consumidor final não contribuinte do ICMS, exceto quando se tratar de comércio eletrônico (e-commerce) nas operações de venda pela internet, em substituição à Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2, e ao Cupom Fiscal emitido por equipamento Emissor de Cupom Fiscal – ECF. Cronograma para início da obrigatoriedade de uso da NFC-e: -01 de março de 2019: para os contribuintes que se inscreverem no Cadastro de Contribuintes deste Estado a contar da referida data; -01 de abril de 2019 para os contribuintes: a) enquadrados no código 4731-8/00 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE - (comércio varejista de combustíveis para veículos automotores); b) cuja receita bruta anual auferida no ano-base 2018 seja superior ao montante de R$100.000.000,00 (cem milhões de reais) -01 de julho de 2019: para os contribuintes cuja receita bruta anual auferida no ano-base 2018 seja superior ao montante de R$15.000.000,00 (quinze milhões de reais), até o limite máximo de R$100.000.000,00 (cem milhões de reais); -01 de outubro de 2019: para os contribuintes cuja receita bruta anual auferida no ano-base 2018 seja superior ao montante de R$ 4.500.000,00 (quatro milhões e quinhentos mil reais), até o limite máximo de R$15.000.000,00 (quinze milhões de reais); -01 de fevereiro de 2020 para: a) os contribuintes cuja receita bruta anual auferida no ano-base 2018 seja inferior ou igual ao montante de R$ 4.500.000,00 (quatro milhões e quinhentos mil reais); b) os demais contribuintes. Fica facultada, a partir de 01 de março de 2019, ao contribuinte que ainda não esteja alcançado pela obrigação de emissão da NFC-e, efetuar a opção pela emissão da NFC-e, mediante credenciamento. Após o credenciamento para emissão da NFC-e ou iniciado o período de obrigatoriedade, ficam vedadas a emissão de Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2, devendo ser cancelado o estoque remanescente, e a concessão de autorização para utilização de equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF. A obrigatoriedade de emissão de NFC-e não se aplica ao Microempreendedor Individual – MEI. Para emissão de NFC-e, o contribuinte deverá credenciar-se junto à SEF-MG, conforme orientações disponíveis no “Portal SPED MG” (http://www.sped.fazenda.mg.gov.br/spedmg/nfce/credenciamento/). Sobre o Emissor de Cupom Fiscal (PAF ECF) Fica facultado ao contribuinte a utilização do ECF já autorizado, por até nove meses, contados da data de credenciamento ou até que finde a memória do equipamento, o que ocorrer primeiro; Enquanto possuir ECF autorizado para uso neste Estado, o contribuinte deverá observar todos os procedimentos relativos a sua utilização previstos na legislação, tais como uso de PAF-ECF, geração e guarda de documentos, escrituração e cessação de uso; Em até sessenta dias após o prazo previsto para utilização do uso do ECF, caso o contribuinte não tenha providenciado a cessação de uso, este terá sua autorização de uso cancelada, devendo o contribuinte, após a cessação de uso do equipamento ou o cancelamento da autorização de uso, manter, pelo período decadencial, o dispositivo de armazenamento de dados do equipamento, para apresentação ao Fisco quando exigido. Após a cessação de uso, o ECF poderá ser utilizado para impressão do Documento Auxiliar da NFC-e - DANFE NFC-e. Fonte: SEFAZ-MG - RESOLUÇÃO Nº 5.234 DE 5 DE FEVEREIRO DE 2019

Veja mais notícias e artigos:

Tel: (11) 5102-3180 / 3179

Fax: (11) 5102-2743

  • Facebook Basic Black
  • LinkedIn Basic Black
  • Black YouTube Icon

Rua Alcides Ricardini Neves, 12
Cj. 313/314/317
Brooklin novo - São Paulo - SP
CEP 04575-050

 

Site desenvolvido por LIF @ 2015